Guilherme Bramer, da Boomera, falou sobre a Economia Circular no Parsifal21 Diálogos, do EcoSocial

A Economia Circular foi o tema do PARSIFAL21 DIÁLOGOS, uma iniciativa do EcoSocial criada para promover o conhecimento e o intercâmbio sobre novas formas de fazer negócios com propósito e impacto socioambiental positivo. O evento ocorreu nesta quinta-feira (24/Ago) na sede do EcoSocial em São Paulo (SP), com transmissão simultânea para salas em Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e Gravatá (PE), e para mais uma sala em São Paulo (SP).

O convidado desta edição do evento foi Guilherme Bramer, especialista em Economia Circular e fundador da Boomera, empresa que atua na busca por soluções que transformem os sistemas tradicionais de produção em modelos circulares junto a pequenas, médias e grandes organizações. Ele foi escolhido o Empreendedor Social 2016 pela revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, e o Profissional do Ano 2016 pela Embanews.

Falando para cerca de 200 participantes do evento, Guilherme trouxe os principais pontos do conceito de Economia Circular, assentado na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia. Este modelo prevê que o valor dos recursos extraídos e produzidos seja mantido através de cadeias produtivas integradas, substituindo o conceito de “fim de vida” da economia linear tradicional. “Naturalmente, questionamos a economia linear, mostrando que dispomos de inúmeros caminhos e formas de pensar diferentes e possíveis para a economia. E para isso, costumamos dizer que na Boomera amamos os problemas, mais do que as soluções, pois atuamos para resolver as questões que surgem do sistema tradicional”, explica o empresário.
 
As bases do modelo circular
 
O trabalho realizado pela Boomera está baseado nos princípios da Engenharia Circular, que preconiza que:
- a Natureza pode ser usada como fonte de inspiração, pois ela produz apenas o necessário à vida, gerando recursos a longo prazo num processo contínuo de reabsorção e reciclagem;
- a matéria-prima já se encontra disponível na sociedade, não sendo necessário extrair mais e em excesso da natureza. Assim, a matéria-prima virgem, aquela que ainda não foi extraída, não se torna a principal fonte de insumo para a produção;
- é preciso acertar na criação e desenvolvimento dos projetos a fim de se evitar desperdícios.
 
Guilherme Bramer falou ainda sobre alguns conceitos fundamentais que embasam a Economia Circular e que oportunizam novas formas de pensar os modelos de negócios e de produção. São eles:
  • Supply chain circular
  • Recuperação e reciclagem
  • Extensão da vida útil dos produtos
  • Uso de plataforma de trocas (com apoio tecnológico)
  • Uso do produto como um serviço, em que a premissa não é a posse do produto, e sim o seu uso a partir de sua finalidade
     
“Além de fatores mais óbvios como a extração de matérias-primas que está mais cara, e a grande pressão dos acionistas das organizações por mudanças concretas nesta direção, há também outro fator, comportamental. Temos aí as novas gerações que desejam, mais do que ter posse de produtos, ter acesso aos produtos. Isso está revolucionando o modelo de consumo tradicional e nos possibilitando olhar, gradualmente, para a necessidade de mudança”, conclui Guilherme.  
 
 
 
 

Compartilhe >
< Voltar

EcoSocial

Newsletter

Linkedin Facebook