Gestão de patrimônio de famílias e transformação socioambiental foi tema do 26º DIÁLOGO PARSIFAL21

Fernanda Camargo e Alexandre Lindenbojm, sócios-fundadores da Wright Capital Wealth Management foram os convidados do 26º DÍALOGO PARSIFAL21 do EcoSocial, que deu continuidade ao tema “Que impacto você quer causar com seu negócio?”. O encontro aconteceu nesta quarta-feira, 22 de agosto, na sede do EcoSocial, em São Paulo-SP, e foi transmitido simultaneamente para nove salas de parceiros em São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre.
 
Criada no início de 2015, a Wright gere de forma independente o patrimônio de famílias empresárias brasileiras, assessorando-as na formulação de políticas de investimentos que contemplem também a aplicação em fundos de investimento em impacto socioambiental.
 
Atualmente, a empresa gere mais de 2 bilhões de reais de 30 famílias brasileiras.
As famílias clientes da Wright investem em torno de 1% do patrimônio líquido no Brasil em fundos de impacto socioambiental que, por sua vez, investem nos negócios de impacto. “Pode parecer pouco, mas é um recurso capaz de mudar a vida de muitas pessoas”, declarou Fernanda.
 
 
A busca de um sonho em comum
 
Alexandre e Fernanda abriram o 26º Diálogo contando um pouco de suas trajetórias pessoais e do que levou o casal a criar a Wright. Com longa experiência na advocacia e no mercado financeiro, eles desejavam atuar na gestão de patrimônio de pessoas que compartilhassem dos mesmos propósitos.
 
Queríamos um olhar para o impacto social que permeasse todas as áreas”, relembrou Fernanda. Uma decisão que, a princípio, poderia limitar seu mercado de atuação. “Mesmo assim, decidimos atender apenas famílias que queriam fazer uma transformação social”, pontuou Alexandre.
 
Além da gestão de patrimônio, Alexandre e Fernanda atuam na educação do mercado e no fortalecimento dos gestores dos fundos de impacto – que são quem, de fato, alocam os recursos nas empresas de impacto socioambiental –, aplicando recursos nessa rede positiva de investimentos.
 
Queremos colaborar para que os investimentos de impacto cresçam, conversar com investidores formais para que despertem para os negócios de impacto, e também entregar capital para que os gestores de fundos comecem e cresçam”, enumerou Alexandre.
 
 
Confira outras declarações do casal durante o 26º DÍALOGO PARSIFAL21 do EcoSocial.
 
Alexandre Lindenbojm:
  
“Quando se esta no caminho do coração e entendida a sua missão, os sinais começam a surgir.”
 
“Investir em negócios de impacto não é só doação nem é só retorno financeiro. É o caminho do meio”.
 
  
Fernanda Camargo:
 
“O dinheiro não une. Mas o propósito, sim. Nossa missão é levar propósito para dentro dos investimentos das famílias das quais gerimos o patrimônio”.
  
“As empresas de impacto social e ambiental precisam mais do que dinheiro de investimento das famílias, precisam de capital de acesso, que é o que fará uma ideia vingar e decolar.”
  
A 26ª edição do Diálogo Parsifal21 foi realizada nos espaços Pelissari (Curitiba); ESPM SUL (Porto Alegre); FESP, Adelina e Plongê (São Paulo), Oito (Rio de Janeiro) e Sulamérica (São Paulo e Rio de Janeiro).


Compartilhe >

EcoSocial

Newsletter

Linkedin Facebook